Últimas Notícias

Socialistas lamentam morte trágica do ministro do STF, Teori Zavascki

Teori Zavascki
Teori Zavascki

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki faleceu, na tarde de quinta-feira (19/01), em acidente aéreo na região da Costa Verde, no litoral sul do estado do Rio de Janeiro. Diversas lideranças socialistas, em notas oficiais, pronunciamentos e entrevistas, lamentaram profundamente esta tragédia e prestam solidariedade aos familiares e amigos do ministro. Teori Zavascki era o relator da Operação Lava-Jato no Supremo e um dos quatro ocupantes da aeronave, modelo Hawker Beechcraft King Air C90, de propriedade do grupo Emiliano. O voo seguia de São Paulo para Paraty.

Em nota oficial, o PSB Nacional divulgou nota, assinada pelo presidente Carlos Siqueira, no início da noite de ontem. Confira: “O Partido Socialista Brasileiro (PSB) lamenta profundamente a morte do Ministro Teori Zavascki e se solidariza com sua família, nesse momento de grande tristeza. Temos convicção, por outro lado, que seu excelente trabalho no STF e na Operação Lava jato encontrará um substituto a altura, confirmando desse modo a solidez de nossas instituições e as qualidades técnicas do poder judiciário brasileiro”.

O presidente do PSB/RS e vice-presidente nacional da sigla, Beto Albuquerque, também manifestou pesar e estendeu condolências às famílias das vítimas. “Minha solidariedade à família e amigos do grande Jurista e Ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki. Fará muita falta ao Brasil! Um magistrado de verdade, discreto, contundente e desinteressado na geração de espetáculos midiáticos. Agiu sempre como manda a Constituição!”. O prefeito de Cachoeirinha, Miki Breier, e a deputada estadual, Liziane Bayer, ambos do PSB/RS, também lamentaram o falecimento do ministro em suas contas nas redes sociais.

O líder em exercício, deputado Tadeu Alencar (PE) recebeu com profundo pesar a notícia do falecimento do eminente ministro do STF. "Magistrado de larga envergadura e história de retidão e brilhantismo, serviu ao País com a seriedade dos grandes homens públicos. Firme no combate à corrupção e na defesa dos mais elevados interesses nacionais, foi exemplo de Magistrado probo e sereno na busca de justiça. Deixa um vazio no Judiciário brasileiro. Com ele convivi por quatro anos quando militei no Superior Tribunal de Justiça, como Procurador da Fazenda Nacional, dele aprendendo lições indeléveis de cívico espirito público. Solidarizo-me, em nome do Partido Socialista Brasileiro na Câmara dos Deputados, neste difícil momento de comoção, com todos os familiares, amigos e com o Poder Judiciário do Brasil."

Na opinião do deputado Júlio Delgado (MG), Teori era um homem comprometida com sua função. "Estou extremamente triste e consternado com a morte do ministro. Estive próximo a ele durante o processo de afastamento do Cunha e vi o quanto era uma pessoa comprometida com a sua função. A consequência de sua morte também afeta em cheio o prosseguimento da Operação Lavo Jato, em que ele era o relator no Supremo. Sem querer criar teorias conspiratórias, o ministro estava há duas semanas de homologar uma série de delações que poderia colocar atrás das grades quem tem foro privilegiado e estava envolvido com escândalos de corrupção. Estava, inclusive, trabalhando durante suas férias. Todo esse empenho e comprometimento não pode ser perdido. O regimento do STF permite que a presidência da Casa indique novo relator em caso de vacância do cargo. Não podemos esperar a nomeação de um novo ministro para a condução de um caso tão importante. Sem dúvida, a triste notícia que recebemos hoje tem desdobramentos muito maiores do que a perda deste grande homem."

A deputada Keiko Ota (SP) também prestou solidariedade. "Quero aqui externar meu profundo sentimento de pesar, por essa perda. O ministro Teori é um grande exemplo de competência e seu trabalho deve ser continuado com o mesmo empenho e determinação que ele realizou até aqui. À toda família, desejo muita força." A deputada Tereza Cristina (PSB-MS) também lamenta. "Neste momento doloroso, venho externar meus sentimentos e me solidarizar com a família do  ministro Teori Zavascki. O judiciário e a nação perdem um grande homem. Que Deus conforte os corações dos familiares.”

O socialista piauiense Rodrigo Martins pediu conforto à família. "No momento em que a operação Lava Jato entraria numa fase importantíssima, passando o país a limpo, somos surpreendidos com essa tragédia. Torço para que o exemplo de coragem seja seguido por todos que investigam e apurem os envolvidos nesta operação.” O deputado Luis Lauro Filho (SP) lamentou o fato. "Recebemos com consternação a notícia da morte do ministro Teori Zavascki. Jurista com atuação comprometida e forte ideal de justiça. Que o brilhante trabalho que vinha realizando na Operação Lava Jato tenha continuidade e possa gerar os resultados que a sociedade brasileira tanto almeja. Neste momento, estendemos nossos mais sinceros pesares aos familiares e amigos."

Também prestou solidariedade à família e amigos do ministro, a deputada Creuza Pereira (PE), que lamentou esta morte prematura. “Teori foi um jurista comprometido com a Constituição Federal, que sempre pautou suas decisões pelo equilíbrio, bom-senso e razoabilidade.” Para o socialista Hugo Leal o acidente é uma lastima não só para o Judiciário, onde o ministro dez belíssima trajetória, mas para todo o sistema institucional brasileiro. “A sua presença firme, mas discreta, deve servir de exemplo para ocupantes de cargos públicos no País, disse.

Cronologia

Teori Zavascki estava no STF desde 2012, quando indicado pela então presidente Dilma Rousseff para a vaga do ministro Cezar Peluso. Em março de 2015, Teori autorizou a abertura de inquérito para investigar 47 políticos suspeitos de envolvimento com o esquema de corrupção na Petrobras deflagrado pela Operação Lava Jato. Nessa investigação, sua atuação já foi alvo de críticas e elogios. Em maio de 2016, Teori negou um recurso da AGU que buscava anular o impeachment de Dilma.

 

 

Informações do PSB na Câmara

Fonte: PSB Nacional

PESQUISA

ASSINE NOSSA NEWLETTER