Artigo- Dia Mundial do Meio Ambiente: O que podemos fazer diferente?

Passamos por um dos piores momentos da história recente. A pandemia do coronavírus pôs em xeque nossa saúde, trabalho, relações pessoais, enfim nosso modo de vida como um todo. Neste Dia Mundial do Meio Ambiente cabe fazermos uma reflexão. Diante deste cenário é necessário questionar o que podemos fazer diferente? Como buscar alternativas para termos resultados distintos do que temos hoje?

A busca de uma vida mais saudável contrasta com a falta de uma política ambiental que permita a preservação das nossas riquezas e o cultivo sustentável. Em meio a mais grave crise de saúde pública o governo federal já autorizou a utilização e comercialização de 150 novos tipos de agrotóxicos somente este ano. Segundo dados do IBGE, o uso de defensivos agrícolas aumentou 155% entre 2002 e 2012, neste período o uso passou de 2,7 para 6,9 quilos por hectare.
De acordo com o Censo Agropecuário de 2017, 70,3% dos estabelecimentos agropecuários do Rio Grande do Sul adotam algum tipo de substância. Em 2006 eram 62%. O problema é agravado com a baixa escolaridade na zona rural e a falta de assistência técnica para orientar sobre o manuseio destes produtos. Não é à toa que somos o estado com a maior taxa de mortalidade relacionada ao câncer segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca).
Mas então como buscar alternativas? Uma delas é incentivar a agricultura urbana como geração de atividade econômica, educação ambiental, segurança alimentar e melhoria na qualidade de vida das comunidades. Com as restrições de circulação impostas pela pandemia cultivar uma horta acaba também sendo um momento de contato com a natureza e a certeza de que iremos consumir um alimento mais saudável.
No Rio Grande do Sul a Lei 15.222 de 2018 instituiu a Política Estadual de Agricultura Urbana e Periurbana, com a finalidade de promover a produção sustentável de alimentos no meio urbano e periurbano, visando a segurança alimentar e nutricional, inclusão social e produtiva e à melhoria da qualidade de vida das pessoas e famílias. 
Nosso desafio é incentivar e implementar estas iniciativas. É mostrarmos que o socialismo se faz com solidariedade, preservação do meio ambiente, inclusão e participação, para que todos usufruam dos seus benefícios. Se quisermos um mundo melhor depois da pandemia precisamos começar a plantar agora.


Mário Bruck
Presidente Estadual do PSB RS 

Fonte: Comunicação PSB RS

PESQUISA

ASSINE NOSSA NEWLETTER