Frente Parlamentar da ALRS reúne entidades que tratam da pauta do câncer

09/07/2020 (Atualizado em 09/07/2020 | 17:33)

A Frente Parlamentar sobre o Câncer na Mulher, presidida pela deputada estadual Franciane Bayer (PSB), reuniu em encontro virtual, realizado nesta quinta-feira (09), entidades ligadas a pauta do câncer com o objetivo de buscar ações efetiva para a queda na busca por exames, diagnósticos e tratamentos de câncer durante a Covid-19. Entre as propostas, uma é consenso, a realização de uma ampla campanha de conscientização por parte do Executivo, Legislativo nas redes digitais e junto aos meios de comunicação. “Se as pessoas estão deixando para depois os cuidados com a saúde por causa do coronavírus, precisamos alertá-las do risco. Nossa maior preocupação é que logo ali na frente tenhamos uma pandemia de casos avançados de câncer pela falta de diagnóstico neste período e por conta da interrupção e adiamento nos tratamentos”, diz Franciane. Como segunda vice-presidente da Assembleia Legislativa, a deputada pretende levar à próxima reunião da Mesa Diretora, a sugestão para que a Casa promova uma campanha de alerta.

Mais três encaminhamentos foram deliberados do encontro que contou com a presença da deputada federal Liziane Bayer (PSB), da presidente da Femama, Dra Maira Calefi, da gestora do Imama, Sansara Nyaya, da presidente da Associação Beneficente Amigas da Mama do Litoral (Abami), Daiana Godoy, do diretor executivo da Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (AAPECAN) Paulo Vasques e do coordenador das unidades de Porto Alegre, Caxias do Sul e Lagoa Vermelha, Wellington Vasques, da presidente do Projeto Camaleão, Flávia Maoli, e do diretor –executivo da Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale), Fábio Fedozzi. O primeiro diz respeito a necessidade de um apoio político para articular uma reunião com técnicos do Ministério da Saúde. De acordo com os relatos, as entidades estão encontrando dificuldades para tratar de pautas específicas do câncer. Outro encaminhamento, sugerido pelo diretor da Abrale, é para que haja previsão no orçamento da saúde de recursos específicos para a oncologia. Por fim, o grupo defendeu o diálogo entre estado e municípios para que seja estabelecido protocolos únicos que garantam a continuidade dos tratamentos, exames e diagnósticos com segurança.


Fonte: Assessoria da deputada Franciane Bayer

PESQUISA

ASSINE NOSSA NEWLETTER