Prefeito de Candelária adere à “Carta de reivindicações” entregue ao governador

reprodução Folha de Candelária
reprodução Folha de Candelária

Prefeito de Candelária, Nestor Ellwanger, o Rim, adere “Carta de reivindicações” entregue nesta  manhã ao Governador Eduardo Leite, a respeito da abertura do comércio neste sábado, 03.04.2021

 



Porto Alegre, 31 de março de 2021.

 

 Ao Excelentíssimo Senhor

EDUARDO LEITE

Governador do Estado do Rio Grande do Sul

 

 Senhor Governador: 

 

Ao apresentar-lhes cordiais saudações, a Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul – FEDERASUL, entidade civil, sem fins lucrativos, que representa, atualmente, mais de 160 entidades empresariais filiadas e cerca de 80 mil empresas associadas, de todos os setores da economia gaúcha, atendendo ao seu compromisso de fomentar o desenvolvimento econômico e social de nosso Estado, reitera, juntamente com os Prefeitos e Deputados Estaduais abaixo relacionados, pedido de alterações nas medidas sanitárias extraordinárias para fins de prevenção e de enfrentamento à pandemia relativa ao novo Coronavírus (COVID-19), visando a minimizar os efeitos da grave crise econômica que estamos enfrentando.

 

No último dia 26 de março, a FEDERASUL encaminhou-lhe de pedido de alteração das restrições previstas no Decreto Estadual nº 55.799/2021, de modo a possibilitar o exercício das atividades econômicas já no período do feriado de Páscoa, pleito que foi acompanhado por manifestações  de diversas de nossas filiadas, que já apresentam suas preocupações com a difícil situação econômica de seus municípios e regiões, que vem se agravando. 

 

Diante da ausência de resposta, até o momento, a FEDERASUL, juntamente com os Prefeitos e Deputados Estaduais signatário do presente documento, renovam o pedido, destacando a urgência da medida, a fim de permitir que os setores afetados tenham condições mínimas se de organizar.

 

                Recordamos que, diferente do início da pandemia, quando o mundo buscava respostas, aprendemos muito no último ano e já dispomos de algumas conclusões. Uma delas é que são as aglomerações irresponsáveis que aceleram a propagação do vírus. Outra é  que a atividade produtiva não gera picos de contágio.

 

                Por isso, a Federasul e demais signatários têm defendido a ampliação dos dias e horários de funcionamento das atividades consideradas não essenciais. E há, pelo menos, três bons motivos para alterar os protocolos já no feriado de Páscoa.

 

                Primeiro, porque, sem opções de locais que ofereçam atividades seguras, infelizmente a população opta pela aglomeração clandestina. Foi assim no carnaval. É o que queremos evitar na Páscoa.

 

                Segundo, porque as empresas possuem ambientes controlados, onde são cobrados permanentemente o uso de máscara, a higienização de mãos, o distanciamento, entre outros protocolos sanitários que reduzem a propagação do vírus.

 

                Por fim, a permissão para o exercício das atividades seria o socorro necessário à economia, sobretudo aos setores mais afetados.

 

Recordamos que o período de Páscoa é extremamente relevante para o setor empresarial, que necessita exercer regularmente suas atividades para poder cumprir suas obrigações, especialmente depois de já haver sido penalizado com medidas extremas ao longo do último ano.

 

Agradecemos a atenção usualmente dispensada, reiterando nossas considerações de estima e apreço e registrando a expectativa de que nosso pleito seja acolhido por Vossa Excelência, com as alterações necessárias nas medidas sanitárias extraordinárias para fins de prevenção e de enfrentamento à pandemia relativa ao novo Coronavírus (COVID-19), de modo a possibilitar o exercício das atividades dos setores comerciais e de serviços já no próximo final de semana (feriado de Páscoa).

 

Atenciosamente,

 

 

ANDERSON TRAUTMAN CARDOSO

Presidente

 

Fonte: Ascom PMC

PESQUISA

ASSINE NOSSA NEWLETTER