Franciane Bayer vota a favor do projeto que fortalece legislação de proteção animal

07/04/2021 (Atualizado em 07/04/2021 | 11:00)

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A deputada estadual Franciane Bayer (PSB) votou a favor do Projeto de Lei (PL) 39/2021 que consolida a legislação de proteção animal no Estado ao restringir a utilização de cães, independente de raça, em competições, apostas, ofertas de brindes ou promoções. A matéria, de autoria do poder Executivo, foi aprovada na sessão plenária desta terça-feira (6).

“Saúdo a iniciativa do governo, assim como a aprovação do projeto que tem como objetivo evitar os maus tratos aos animais, após denúncias de tal prática com cães da raça Galgo, em municípios gaúchos”, comemorou.


Durante o encaminhamento do projeto, a parlamentar pediu uso da palavra para reforçar a finalidade da matéria de proteger os animais, diferentemente da prática do esporte Canicross, que consiste na realização de corridas e caminhadas em trilhas, onde o homem e seu cão praticam as atividades ao ar livre. “No Canicross, diferente dessas corridas, o cão é respeitado e cuidado como melhor amigo do praticante do esporte. Neste sentido, encaminho o voto favorável ao projeto, pedindo ao governo que fiscalize e garanta o cumprimento desta lei, assim como, garanta também que os praticantes de Canicross não serão impedidos de realizar suas atividades em sintonia e respeito com os animais”


Franciane Bayer é autora da Lei 15.308/2019 que instituiu o Dia Estadual do Esporte Cranicross, comemorado no dia e de abril. Com o mandato voltado para defesa da vida e da família, Franciane acredita que o Canicross também estimula a convivência familiar, melhora a relação entre o homem e o cão, reduz índice de abandono de animais, promove a qualidade de vida e de saúde dos praticantes, entre outros benefícios. “Incentivar o esporte é investir em saúde, qualidade de vida, inclusão social e oportunidades”, destacou a deputada ao reafirmar seu total apoio a proibição de corrida de animais, a que se refere o projeto.

Fonte: Ascom Dep. Franciane Bayer

PESQUISA

ASSINE NOSSA NEWLETTER