A cada dois minutos, uma mulher é vítima de violência doméstica. Acesso às armas agrava a situação

09/04/2021 (Atualizado em 09/04/2021 | 12:39)

Foto: Divulgação/PSB Nacional
Foto: Divulgação/PSB Nacional

Uma triste realidade no Brasil que precisa ser mudada: a violência contra a mulher. O terceiro vídeo da campanha DESARME: PSB CONTRA AS ARMAS!, lançado nesta quinta-feira (8), mostra como o que pode parecer ser uma discussão de casal, se transforma em briga e termina em tragédia.

“A cada dois minutos uma mulher é vítima de violência doméstica. Com o aumento do número de armas nos lares brasileiros, o número de mulheres vítimas de feminicídio tem aumentado assustadoramente”, destaca o vídeo, clique aqui e confira.

A pandemia do novo coronavírus foi um dos fatores que provocou o aumento dos números de casos de violência doméstica e feminicídios. Com as medidas de isolamento social para evitar a disseminação da Covid-19, muitas mulheres vítimas ficam reféns de seus agressores em suas próprias casas.

Como se não bastasse esse fato, o governo de Jair Bolsonaro insiste em incentivar uma política armamentista e violenta.

O PSB é antiarmamentista e, em sua autorreforma, defende a autonomia e o respeito ao corpo da mulher sob qualquer circunstância e acredita que a facilidade no porte de armas contribui para o aumento da violência e dos casos de feminicídios.

O partido exige a garantia da aplicabilidade plena da Lei Maria da Penha e a ampliação e o fortalecimento da rede de serviços de atenção e cuidados às mulheres em situação de violência.

A campanha do PSB, que se baseia no conceito da ‘Não Violência Ativa’, motivo de uma primeira campanha, segue com a divulgação de vídeos até o dia 12 de abril mostrando situações cotidianas que podem ter consequências mortais com o acesso facilitado às armas.

Todos os vídeos ficarão disponíveis nas redes sociais (@psbnacional40) e no site oficial do partido.

Fonte: PSB Nacional

PESQUISA

ASSINE NOSSA NEWLETTER