Em live, Siqueira fala sobre crise brasileira, democracia, pandemia e o papel da esquerda

22/04/2021 (Atualizado em 29/04/2021 | 12:22)

Arte: PSB Nacional
Arte: PSB Nacional

A saída para as atuais crises, sem precedentes na história, passa pela política: em 2022, é fundamental a eleição de um governo capaz de reunir forças progressistas e setores democráticos a fim de garantir o retorno da democracia no país. Esta é a opinião do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, que participou nesta terça-feira (20) à noite de uma live promovida nas redes sociais do deputado estadual e médico infectologista Jenilson Leite, do PSB no Acre.

Durante mais de uma hora, Siqueira fez uma análise profunda das medidas equivocadas que o governo Bolsonaro tomou na pandemia que levaram ao número de quase 400 mil mortes no país. Entre elas, a negação da doença e de medidas sanitárias para enfrentá-la, como o lockdown e o uso de máscaras, a militarização dos quadros do Ministério da Saúde – algo nunca antes visto nem mesmo no regime militar -, a troca de quatro ministros da pasta durante a maior crise sanitária enfrentada no país e no mundo, e a ausência ou ineficiência de medidas econômicas para socorrer a população e as pequenas e médias empresas.

Para Siqueira, a principal contradição política que o país vive agora não é o embate entre esquerda e direita, mas entre autoritarismo e democracia. Segundo ele, se Bolsonaro for reeleito, o processo democrático vai chegar a um ponto de “definhamento completo”.

“Agora, para nós superarmos isso, devemos ter a clareza da necessidade de uma frente ampla que congregue setores progressistas, setores democráticos para refazer a substituição desse governo, e garantir o retorno da democracia”, disse.

Segundo o presidente do PSB, o partido poderá ter candidato próprio ou apoiar um postulante de uma frente ampla, mas isso não será decidido agora, no momento em que o país e a população precisam de soluções para os graves problemas agravados pela covid-19. “A unidade das forças democráticas e populares no Brasil é essencial. Mas 2022 não se discute em 2021. 2022 se discute em 2022. Que solução poderíamos dar à população se definíssemos isso agora? Nenhuma”, destacou.

Siqueira apontou as sugestões aprovadas pelo PSB em uma resolução durante a última reunião do Diretório Nacional para que o país enfrente a crise. Uma delas é o uso de recursos dos bancos estatais para abertura de linhas de crédito desburocratizadas com o objetivo de socorrer as pequenas e médias empresas e diminuir o desemprego.

“É importante que sobretudo o médio e o pequeno empresário tenham um programa de apoio financeiro. Eu não posso compreender porque até esse momento a Caixa Econômica, o Banco do Brasil, o Banco do Nordeste e sobretudo o BNDES que poderiam socorrer fortemente essas pequenas e médias empresas ainda não estejam fazendo de maneira adequada”.

Para o socialista, o sucesso no enfrentamento à pandemia em países como Inglaterra e Israel, que voltam à normalidade, demonstram que, “aquilo que o presidente, seus assessores e ministros diziam estava inteiramente errado”.

“É preciso adotar as medidas sanitárias adequadas, o uso de máscara, o lockdown, e as medidas suplementares que garantam socorro à empresas. Isso tudo são medidas casadas, não são medidas que se fazem separadas”, disse. “Mas, ao contrário, se apostou na possibilidade anticientífica, e que nenhum outro país do mundo entrou nessa”. “Nós lidamos pela primeira vez na história com um governo que simplesmente desacredita a ciência”, afirmou.

Siqueira acredita que a CPI da Covid-19 criada para investigar as ações e omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia e o colapso da saúde no Estado do Amazonas fará com que o governo mude de posição e adote medidas segundo as indicações da ciência. As pressões que resultaram nas demissões do general Pazuello do comando do Ministério da Saúde e de Ernesto Araújo, apontam para a esperança de uma mudança de rumo, “ainda que lentamente, e desgraçadamente”.

“Mas vamos ver. Acho que a pressão da população, a pressão do Congresso, as decisões que nós provocamos no âmbito do Supremo Tribunal Federal, que permitiram aos prefeitos e governadores adotarem medidas sanitárias que o presidente era contra, tudo isso minimizou um pouco a situação que poderia ser ainda pior”.

Sobre a situação econômica, o socialista avalia que políticas ultraliberais adotadas por diferentes governos desde Temer demonstram ser completamente ineficazes para a solução dos problemas que o país enfrenta.

Na opinião do presidente do PSB, a redução do auxílio emergencial para a média de 200 reais e a ausência de auxílio às empresas revelam “imensa insensibilidade social” do governo Bolsonaro.

“Portanto, não há uma saída econômica adequada com essa visão ultraliberal que tem o senhor Guedes. Eu só vejo uma saída econômica fora desse governo. Porque com essas ideias ultraliberais do senhor Guedes revelam a incapacidade deste governo de ter uma política econômica capaz de minimizar as consequências gravíssimas da pandemia”.

O Real, por exemplo, foi a única moeda que sofreu depreciação na América Latina, observou. “O Guedes falava que quando o real estava em 4 dólares, ele dizia que algo precisava dar muito errado pra que chegasse a 5 reais, porque alguns analistas diziam que poderia chegar a 5. Mas não chegou apenas a 5, chegou a quase 6. Chegou a 5,80, 5,70. Então, deu tudo errado mesmo. O Guedes tinha razão. Deu mais errado do que ele negava que poderia dar”, disse.

Para Siqueira, as medidas econômicas adotadas pelos demais países são muito superiores às do Brasil, que está entre as maiores economias do mundo. Na avaliação dele, em uma situação pior que de uma guerra, é inevitável que haja endividamento público “porque não há saída”.

“Todos os países do mundo estão se endividando fortemente, os ricos e os pobres também. O papel do Estado é importante em qualquer situação, mas em uma situação como essa, há de haver endividamento público, há de haver investimento público. Isso de um lado, porque tem que ter estabilidade política também”, afirmou.

Confira a live na íntegra, clicando aqui.

Fonte: PSB Nacional

PESQUISA

ASSINE NOSSA NEWLETTER