Liziane Bayer: precisamos falar da mulher

Liziane Bayer é deputada estadual pelo PSB/RS
Liziane Bayer é deputada estadual pelo PSB/RS

Do direito ao voto à melhoria das condições de trabalho, da maior participação na vida pública ao combate à violência doméstica, as lutas femininas nunca foram fáceis. Infelizmente, todos os espaços conquistados pelas mulheres exigiram muita luta, muitas vezes com a própria vida. Dentro e fora de casa. Desde que assumi meu mandato na Assembleia Legislativa, uma das minhas bandeiras é aumentar a participação da mulher na política. Tenho forte compromisso com a consolidação desse caminho.

Defender as mulheres não se resume à plataforma de políticas públicas voltadas a elas. Envolve também o respeito decorrente da própria natureza humana, envolve as oportunidades que dependem de uma nação economicamente equilibrada e socialmente justa.

Precisamos falar cada vez mais sobre a mulher, mãe, dona de casa, trabalhadora, militante, estudante, enfim. Há muito ainda para ser feito, apesar da exploração, das injustiças e desigualdades terem diminuído nos últimos anos.

Esse muito a ser feito passa por uma construção permanente no nosso cotidiano e nós que possuímos representatividade política, homens e mulheres, temos a obrigação e o dever de contribuir para isso. Em 2015, tive a honra de participar da instalação da Procuradoria Especial da Mulher na Assembleia Legislativa, que busca garantir maior representatividade, visibilidade e destaque às mulheres na política. Além disso, pretende combater a violência e a discriminação contra as mulheres em nossa sociedade, qualificar os debates nos parlamentos, receber e encaminhar aos órgãos competentes as denúncias e anseios da população. Estamos fazendo nossa parte!

Defender a mulher é defender a democracia, a liberdade. Precisamos continuar falando sobre a mulher, até porque representamos a maioria da população brasileira e, mesmo assim, ainda vivenciamos um abismo salarial entre homens e mulheres, a pouca participação feminina em cargos políticos e a desigualdade no acesso à educação.

Portanto, comemoremos o dia 8 de março e as conquistas, mas continuemos falando da mulher e lutando por mais respeito, educação e trabalho. Só assim teremos uma sociedade mais justa e igualitária!

 

*Liziane Bayer é deputada estadual (PSB) e vice-presidente da Assembleia Legislativa

** Artigo publicado originalmente no portal Zero Hora.com

Fonte: Liziane Bayer

PESQUISA

ASSINE NOSSA NEWLETTER