Schuch: Agricultores reforçam mobilização contra a Reforma da Previdência

28/04/2017 (Atualizado em 28/04/2017 | 17:35)

Heitor Schuch é deputado federal pelo PSB
Heitor Schuch é deputado federal pelo PSB

Após três dias de discussão nesta semana, a Comissão Especial da PEC 287 se prepara para votar o relatório da reforma da Previdência a partir da próxima terça-feira (02/05). Titular do colegiado, o deputado Heitor Schuch (PSB/RS) afirma que a estratégia é aumentar a pressão sobre os parlamentares para impedir a aprovação da matéria.

 Por isso, na avaliação do socialista, os protestos programados para amanhã em todo o país são fundamentais. “Precisamos parar o Brasil e mostrar a força dos trabalhadores. A ordem é reforçar o bordão quem vota não volta. Agora é no corpo a corpo, marcação cerrada”, destaca Schuch, que participará das mobilizações organizadas pela Fetag e os Sindicatos dos Trabalhadores Rurais em Santa Cruz do Sul, Candelária e Lajeado. Ao todos, estão programados mais de 20 atos em todo o Estado.

O deputado acredita que o substitutivo até poderá passar na comissão, mas o governo não dispõe dos votos necessários para a aprovação em plenário. Apesar de o parecer da PEC apresentar avanços importantes relativos à aposentadoria rural, o texto ainda não atende os pleitos da categoria, especialmente quanto á idade mínima para as mulheres, que aumentou de 55 para 57 anos e o modelo de contribuição, que passaria a ser individual e direto e não mais sobre a produção comercializada, como ocorre atualmente. “O projeto penaliza os agricultores e inviabiliza a permanência dos agricultores no sistema, já que grande parte não terá como fazer a contribuição mensal, porque a renda da propriedade é sazonal, conforme a safra e, muitas vezes, acaba sendo frustrada pelo clima”, afirma Schuch, que é presidente da Frente Parlamentar da Agricultura Familiar. 

 

Lisiana Santos

 

 

Fonte: Assessoria

PESQUISA

ASSINE NOSSA NEWLETTER