JSB completa 30 anos de uma história de lutas pela democracia

15/07/2019 (Atualizado em 15/07/2019 | 15:19)

A Juventude Socialista Brasileira (JSB), segmento do PSB, comemorou 30 anos de fundação neste 13 de julho. A data foi comemorada em Brasília, onde estiveram cerca de 500 integrantes do segmento, vindos de todo o país, para cinco dias de atividades que tiveram início na última quarta-feira (10).Um ato político com a presença do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, e de outras lideranças do partido,  foi realizado no sábado (13).

 O secretário nacional da JSB e presidente do PSB de Pelotas, Tony Sechi, afirma que o segmento é uma “porta de entrada” no PSB para a maioria dos filiados. “Fundada em 1989, a JSB é um celeiro de formação de lideranças do partido, que movimenta e oxigena o PSB”, afirma.

Sobre a trajetória do movimento, Sechi destaca a presença da juventude em momentos importantes da história do país. “Desde o início, a JSB esteve presente, dialogando, mobilizando os jovens, à frente de todas as grandes transformações que o Brasil viveu, desde a luta pelas Diretas Já e depois na mobilização pelo impeachment do presidente Fernando Collor. Neste momento, em que travamos uma disputa com setores ultraconservadores, seguimos firmes e atuantes na defesa dos princípios socialistas”, disse.
Para o secretário, é um desafio e uma conquista chegar aos 30 anos com um segmento estruturado em todo o Brasil, com uma militância aguerrida, mandatários de destaque e sendo referência em Políticas Públicas para a Juventude (PPJ).
“Nossa ideia é cada vez mais levar a JSB para a base e sermos o motor do partido, que ocupa espaços e conquista mandatos como planejamos para as eleições municipais de 2020. Para isso, já estamos nos organizando e atraindo cada vez mais jovens qualificados”, antecipou Sechi.
Extensa programação
 
Na quarta-feira (10), a juventude socialista participou da abertura do 57º Congresso da União Nacional dos Estudantes (Conune) e do lançamento da campanha “Mais livros e menos armas”, na Universidade de Brasília (UnB). No dia seguinte, a programação foi voltada para as pautas da JSB Feminista, em parceria com a Secretaria Nacional de Mulheres (SNM) do PSB.
Foram debatidos temas como a participação feminina na política, políticas públicas para as mulheres com ferramentas de combate ao feminicídio, a resistência durante a ditadura até os dias atuais e o papel da militância feminista.
Ainda na quinta-feira (11), parlamentares socialistas foram debatedores em mesas do Conune, no Instituto Central de Ciências (ICC) da UnB. O deputado federal Aliel Machado (PSB-PR) falou sobre “O Plano Nacional de Educação – A sangria do financiamento educacional e a nova etapa da luta de estudantes e professores no Congresso Nacional”. A deputada Lídice da Mata (PSB-BA), discutiu o tema “Da afirmação das identidades raciais ao genocídio da juventude negra”. Já a pauta “A instabilidade entre os poderes da república e o futuro do governo Bolsonaro” foi a temática abordada pelo deputado Alessandro Molon (PSB-RJ).
O socialista Gervásio Maia (PB) participou da mesa sobre “O projeto do MEC e o menosprezo à universidade pública brasileira” e o deputado João Campos (PSB-PE) participou do debate com o tema “O Brasil a preço de banana: entreguismo e destruição da soberania nacional”.
O presidente do Instituto Pensar e membro da Executiva Nacional do PSB, Domingos Leonelli, fez palestra sobre o tema economia criativa, nesta sexta-feira (12).
 

Fonte: PSB Nacional Foto Humberto Pradera

PESQUISA

ASSINE NOSSA NEWLETTER