Redução em investimentos do Fies motiva crítica de socialistas

Redução no FIES motivou crítica de socialistas
Redução no FIES motivou crítica de socialistas

O Ministério da Educação (MEC) anunciou, an terça-feira (07/02), a redução de 34,7% nos investimentos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Os socialistas Danilo Cabral (PE) e Rodrigo Martins (PI) fizeram críticas a esta decisão.

O MEC vai diminuir o teto global de financiamento por curso de R$ 42 mil para R$ 30 mil por semestre. Com isso, cada aluno poderá receber no máximo R$ 5 mil por mês. Para Danilo, é lamentável a redução de mais de 30% em um programa que garante o acesso de 2,5 milhões de jovens ao ensino superior. “A medida já é reflexo da entrada em vigor do teto de gastos públicos, aprovado pelo Congresso no último ano e que, pelo menos na teoria, não afetaria a educação pública”, acrescentou.

Para Rodrigo Martins, a medida prejudicará grande parte dos alunos brasileiros. “Uma pátria não pode ser educadora apenas no slogan. Comparado ao ano passado, cerca de 70 mil vagas foram diminuídas no Fies, além da redução do teto de financiamento mensal de cada aluno”, lamentou. O socialista irá protocolar requerimento na Câmara direcionado ao ministro da Educação, Mendonça Filho, para revogar as mudanças anunciadas. “Uma nação menos corrupta e mais desenvolvida passa pelo fortalecimento da educação”, finalizou.

A medida determinada pelo MEC vale para contratos celebrados a partir desta terça-feira (7), data em que foram abertas novas inscrições para o programa. Atualmente, vigoram contratos de financiamento de cursos de graduação em universidades e faculdades particulares. O Governo Federal assegurou que a mudança não vale para estudantes que já firmaram contratos, apenas para novos financiamentos. 

O Programa:

Os candidatos ao Fies são selecionados com base em suas notas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e por critérios socioeconômicos. O programa financia cerca de 1,5 milhão de estudantes no Brasil. 

 

Andrea Leal com informações da assessoria

Fonte: Liderança PSB na Câmara

PESQUISA

ASSINE NOSSA NEWLETTER