Protesto contra assédio sexual recebe apoio de socialistas

05/04/2017 (Atualizado em 05/04/2017 | 20:00)

PSB na Câmara o assédio sexual
PSB na Câmara o assédio sexual

Nesta quarta-feira (05/04), socialistas que integram a bancada feminina na Câmara dos Deputados se manifestaram sobre a campanha que viralizou nas redes sociais nesta semana: Mexeu com uma, mexeu com todas.

O protesto surgiu em meio a acusação de assédio feita pela figurinista Susllem Tonani, na semana passada, em um blog do jornal Folha de S. Paulo contra o ator José Mayer. Segundo Susllem, Mayer a assediava tanto verbalmente quanto fisicamente, e chegou até a tocar suas partes íntimas sem consentimento dentro do camarim.

A deputada federal Maria Helena (RR) declarou que não se calar é o primeiro passo para que a mulher seja respeitada. “Se não calarmos e denunciarmos o assédio, que é delito previsto no Código Penal, a exposição desses machistas e a responsabilização por essas ações são meios de pouco a pouco mudarmos esse comportamento inaceitável dos assediadores”, disse.

 A 1ª procuradora adjunta da Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados, deputada Luana Costa (MA), também se manifestou. “Campanhas como essas trazem impacto para a população mas, acima de tudo, para as mulheres que se sentem sós quando são acometidas por assédio e violência”. A parlamentar ainda afirmou que esse tipo de atitude gera proteção a todas as mulheres e que é uma forma de combater sistematicamente esse tipo de violência.

Para a amapaense Janete Capiberibe o assédio e violência contra a mulher não podem ser aceitos ou tolerados. Segundo ela, essa campanha demonstra que a sociedade, unida, pode superar esse comportamento machista e promover um debate positivo, de como avançar para a equidade de gênero. “Essa mobilização é importante, inclusive para aprimorar as políticas públicas e reverter o corte de 60% nos recursos das políticas de proteção à mulher vítima de violência, por exemplo. Unidas somos fortes!”, completou.

A solidariedade entre as mulheres foi o que chamou a atenção da deputada Creuza. “O gesto de uma se solidarizar com a outra é muito importante. Precisamos fazer com que atitudes dessa se multipliquem falando nisso nos grupos de mulheres, nas escolas, divulgando cartazes e artigos. De fato a violência contra a mulher é ainda algo muito grave, mas nós estamos preparadas pela solidariedade entre nós para enfrentarmos essas situações”.

Por fim, Keiko Ota (SP) disse que gestos como esse reafirmam a união e a coragem das mulheres. “Todos que forem desrespeitar uma mulher lembrarão que somos unidas, que não nos calamos.”

 

 

 

Mariana Fernandes - Liderança PSB na Câmara

Fonte: Assessoria

PESQUISA

ASSINE NOSSA NEWLETTER